Aneel quer romper o contrato da Eletrosul com o Ministério de Minas e Energia

A Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) propôs ao Ministério de Minas e Energia a quebra de contrato de concessão com a Eletrosul, para construção de aproximadamente dois mil quilômetros de linhas de transmissão leiloadas desde 2014.

Caso o Ministério adote o pedido da Aneel, as linhas de transmissão devem ser incluídas no próximo leilão que está marcado para dezembro. O que ocasiona atraso na produção e construção das linhas, deixando tanto as estatais como a população preocupadas. Segundo informações da Agência, a decisão foi tomada porque a Eletrosul não conseguiu manter sua produção e tão pouco concluir as obras por falta de dinheiro. A empresa chegou a negociar parceria com companhia chinesa Shanghai, porém não obteve sucesso.

Para implantação das linhas de transmissão seria necessário investimento de mais de R$4 bilhões e acarretaria cerca de 200 mil empregos. Segundo o diretor-geral da Aneel, André Pepitone, há diversos empreendimentos eólicos que estão sendo prejudicados pelas linhas de transmissão não terem sido construídas.

Além do prejuízo nas estatais, a população também sofre com a decadência de produção e execução das linhas, visto que muitas vagas de empregos não foram preenchidas por conta disto. Mesmo com inclusão no próximo leilão de energia os danos continuam, já que as linhas estavam previstas para serem concluídas este ano foram transferidas para 2022.

Acompanhe as notícias sobre o mercado de petróleo, gás, energia, biocombustíveis, onshore e offshore. Lembre-se: seu negócio passa por aqui. Confira em: www.panoramaoffshore.com.br e www.facebook.com/panoramaoffshore



Deixe uma resposta