Após TST considerar greve ilegal, Petrobras determina que petroleiros voltem ao trabalho

Após paralisação dos petroleiros alcançar o décimo sétimo, Ives Gandra Filho, Ministro do TST, julga a greve ilegal e autoriza a Petrobras a tomar medidas administrativas, como demissão por justa causa e corte de salários. Não havendo cumprimento de sua determinação, os sindicatos envolvidos terão que pagar multa que poderá ser de até R$ 500.000,00 (quinhentos mil reais) por dia.

Decisão:
“Reconhecer, em caráter incidental, a abusividade e ilegalidade do movimento paradista dos petroleiros, que já dura 17 dias, tem motivação política, e desrespeita ostensivamente a lei de greve e as ordens judiciais de atendimento às necessidades inadiáveis da população em seus percentuais mínimos de manutenção de trabalhadores em atividade”.

Vale saber:
… A greve dos petroleiros é contra o fechamento da fábrica de fertilizantes Ansa (Paraná) e a demissão de cerca de 400 trabalhadores.
… A greve é coordenada pela Federação Única dos Petroleiros (FUP) e treze sindicatos.
… Petrobras informou que já notificou as entidades sindicais e aguarda o retorno dos grevistas ao trabalho.
… A FUP diz que ainda não foi notificada.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta