Aumento de royalties contém déficit federal

O governo brasileiro, através da equipe econômica, tem conseguido manter parte do déficit nas contas públicas ao impulsionar a arrecadação federal, via royalties de petróleo e gás, registrando 49%, com estimativa para este ano obter recolhimento recorde.

Os dados são do Tesouro Nacional, e constam que a arrecadação nos recursos naturais brasileiros promoveu faturamento superior de mais de R$36 bilhões, e desse valor R$29,2 bilhões são do setor de óleo e gás.

Ainda de acordo com o Tesouro, os motivos principais para este aumento na arrecadação proveniente dos recursos naturais são o aumento do petróleo, hoje na casa dos US$70 o barril, e a ativação da produção nacional no segmento.

Portanto, o preço maior fez com que a equipe econômica recalculasse as contas da arrecadação para 2018, provocando estimativa de receitas com os recursos naturais, principalmente petróleo, de R$6,5 bilhões a mais na reprogramação orçamentária, que passou para este ano ao patamar de R$51,4 bilhões.

O fato é que os recursos dos royalties com a produção concentrada nas bacias do estado do Rio de Janeiro e de Santos (SP) crescentes, trazem ascensão e ajuda numa época de crises e dificuldades nas contas públicas após a retração de mais de dois anos no setor. Os dados de alta podem ser comprovados na Agência Nacional de Petróleo (ANP).

Continue acompanhando a Panorama Offshore e mantenha-se informado sobre tudo o que acontece no mercado de petróleo, gás, energias, gasolina, combustíveis, Petrobras, onshore e offshore. Lembre-se: seu negócio passa por aqui! Confira: www.panoramaoffshore.com.br. www.facebook.com/panoramaoffshore.



Deixe uma resposta