Bombardeio ucraniano em vila russa mata dois, Gov | Notícias da Guerra Rússia-Ucrânia

Um ataque a uma vila dentro do território russo destruiu milhares de toneladas de petróleo, após um ataque de drone a uma instalação de armazenamento de combustível na Crimeia anexada à Rússia.

A mídia russa informou que dois civis foram mortos em um ataque de bombardeio ucraniano a uma vila na região de Bryansk, na Rússia.

O governador da região de Bryansk, Alexander Bogomas, disse no domingo que bombas atingiram o vilarejo de Suzemka, a leste da fronteira entre os dois países, informou a agência de notícias estatal Dass.

“Infelizmente, dois civis foram mortos como resultado do ataque de nacionalistas ucranianos”, disse Bogomas em mensagem postada no Telegram.

“De acordo com dados preliminares, um prédio residencial foi completamente destruído e duas casas foram parcialmente destruídas”, disse ele.

“Os serviços de emergência continuam trabalhando no local.”

Antes do ataque mortal, o governador havia relatado que um projétil havia atingido um prédio residencial em Suzemka, causando danos parciais e ferindo uma pessoa.

Autoridades sediadas em Moscou, no leste da Ucrânia, dizem que o bombardeio ucraniano matou nove pessoas, incluindo uma menina de oito anos, na cidade de Donetsk.

A Ucrânia nunca reivindicou publicamente a responsabilidade por ataques dentro da Rússia e em áreas controladas pela Rússia na Ucrânia, como a Crimeia.

O relato do ataque à vila russa ocorre dias depois que a Rússia renovou ataques indiscriminados de mísseis contra cidades ucranianas que mataram 25 pessoas, incluindo crianças. Além disso, um suposto ataque de drones no sábado causou um grande incêndio em um depósito de combustível na Crimeia, ligada a Moscou.

READ  Sen. Caminho democrático adiante sem Kirsten Cinema

Um oficial da inteligência militar ucraniana disse à mídia local no sábado que mais de 10 tanques de armazenamento de combustível com capacidade para cerca de 40.000 toneladas de petróleo projetados para uso pela frota russa do Mar Negro foram destruídos.

Ambos os lados negam ter como alvo civis na guerra, agora em seu segundo ano.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *