Brasil terá investimento exclusivo da Petrobras

A Petrobras vai focar exclusivamente no Brasil pelos próximos cinco anos, disse o presidente da empresa, Pedro Parente, no Bradesco CEO Forum, em Nova York. Em painel com investidores, Parente disse que a companhia foi vítima da Lava-Jato, e que sua missão agora é retomar a confiança na empresa.

– Para os próximos cinco anos, vamos ficar focados no Brasil – disse Parente. – Não vamos investir fora do país a não ser que esteja em um contexto de parcerias estratégicas.

O presidente da Petrobras disse que a empresa não se beneficiou com os esquemas da Lava-Jato, e que tem ressaltado em conversas no exterior que a companhia não deve ser penalizada por isso.

– Foi uma gangue que se formou, com um número pequeno de executivos da companhia e um grande número de pessoas de fora – disse Parente. – A pergunta é como seremos penalizados por sermos vítimas desse esquema na Corte dos Estados Unidos.

Questionado sobre quanto a empresa deverá pagar de indenização em uma ação impetrada por investidores na Justiça de Nova York, Parente disse que o Direito está do lado da empresa.

– Tivemos sucesso ao levar a discussão para a corte de apelos. Aceitaram o nosso caso. Estamos em fase de audiências. De acordo com nossos advogados, fomos bem nessa etapa. Não será algo de 2 ou 3 meses, vai ser demorado, mas temos a lei ao nosso lado. Fomos vítimas.

O executivo disse que, acaso a Petrobras perca alguma ação na Justiça, a empresa já tem provisões reservadas para pagar. Parente disse que manteve a meta de vender $15 bilhões em ativos até o fim de 2016 e mais $19.5 bilhões nos próximos dois anos.

Parente disse que a companhia precisou mudar para ter a confiança de investidores restabelecida. Cinco comitês avaliam fornecedores antes de fechar um contrato, e todas as empresas passam por uma avaliação de antecedentes.

– Temos um conselho de administração em que sete dos dez integrantes são independentes.

Havia comitês que passaram mais de cinco anos sem reunião e agora têm mais de uma reunião por mês.

Em entrevista à rede americana CNBC, Parente disse que a eleição de Donald Trump para a presidência não terá impacto direto no Brasil. O executivo disse que o país não tem relações estreitas de comércio com os Estados Unidos e que o Banco Central tem competência para evitar turbulências.

Fonte: O Globo

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta