Consumo de gás natural tem alta na Amazônia

O gás natural deve se tornar o combustível cada vez mais consumido por todos os setores da sociedade. Logo após a crise econômica, a tendência de aumento no consumo começou a ser percebida. No Amazonas, por exemplo, na contagem que se iniciou em janeiro de 2017, até janeiro deste ano, o uso dessa composição em todos os setores aumentou 28,5%.

Os dados são da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás) e foram colhidos em levantamento realizado com concessionárias em 20 Estados, reunindo dados em diversos segmentos como residencial, comercial e automotivo, entre outros.

De acordo com o levantamento, em janeiro de 2017, o Amazonas consumiu cerca de 2,639 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia (m3/dia). Esse número aumentou para 3,392 milhões m3/dia.

O setor que mais consome gás natural ainda é de geração elétrica, que aumentou de 2,546 milhões, em janeiro de 2017, para 3,283 milhões de m3/dia de gás natural, crescimento de quase 29%. Também teve destaque o crescimento no consumo das fábricas do Amazonas que subiu de 77,4 mil para 92,6 m3/dia, um total de 19,6%.

O presidente da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), Nelson Azevedo, explicou que o gás natural já está bastante disseminado, mas a maioria das fábricas ainda mantêm a matriz energética comum.

“Logicamente que deve ter havido algum incremento e as empresas estão procurando se adaptar, medindo seus investimentos, porque para fazer essa mudança, requer bastante trabalho e investimentos”, comentou Azevedo que acrescentou ainda que o gás natural já está disponível em um volume alto para atender uma demanda maior da indústria do Amazonas.

“O consumo só não é maior porque as empresas ainda estão preocupadas com outras prioridades e com pé no chão quando se trata de investimentos em inovação na matriz energética, o que pode adiar o processo de mudança”, concluiu.

Ao contrário do que aconteceu a nível nacional, o consumo do Gás Natural Veicular (GNV) teve redução no Amazonas de 8,13% de janeiro de 2017 (12,3 mil m3/dia) para janeiro deste ano (11,3 mil m3/dia). O consumo comercial aumentou de 0,6 para 1,1 mil m3/dia. No consumo do gás natural como matéria prima também houve crescimento de 2,9 para 4,1 mil m3/dia.

Média nacional

Em todo o Brasil, no primeiro mês de 2018, foram consumidos, em média, 60,77 milhões de m3/dia, enquanto que no mesmo mês de 201, foram consumidos 53,87 milhões m3/dia. Um crescimento que chegou a 12,8%. O destaque a nível nacional também foi a indústria, com expansão de 11,3% no período. A demanda da indústria também cresceu frente os números de dezembro de 2017 uma alta de 5,9%.

Na indústria, houve crescimento de 11,3%. No segmento automotivo, o consumo de GNV cresceu 7%, resultado da maior competitividade do GNV frente aos combustíveis líquidos. No consumo comercial, o segmento apresentou crescimento de 12,4%, mostrando sinais de recuperação depois da forte desaceleração da economia. O Norte também foi destaque no crescimento no consumo industrial (33,6%). Fonte: Em Tempo

Continue acompanhando tudo o que acontece no mercado de petróleo e gás através da Panorama Offshore e obtenha informações e notícias de qualidade sobre petróleo, gás, energias, pré-sal, combustíveis, gasolina, Petrobras e offshore. Lembre-se: Seu negócio passa por aqui. Confira: www.panoramaoffshore.com.br www.facebook.com/panoramaoffshore.



Deixe uma resposta