Tecnologia no monitoramento dos reservatórios

A extração de petróleo e gás é uma atividade extremamente complexa e que depende de grandes investimentos tecnológicos e de maquinário para evitar desperdícios de tempo e recursos. A fim de reduzir incertezas no processo, sobretudo, no início do funcionamento dos poços, as empresas de exploração de petróleo vêm investido cada vez mais no monitoramento e na caracterização dos reservatórios.

Nos últimos 30 anos, os campos brasileiros de perfuração receberam grandes avanços tecnológicos de monitoração, que vão desde testes prévios, análises matemáticas, até a utilização de softwares de última geração, para que haja sucesso na operação. E para melhor monitoramento dos campos foi implementada as etapas de modelagem e simulação na exploração de novos poços.

A fim de buscar uma previsão do comportamento dos reservatórios de petróleo e gás, as empresas de exploração têm utilizado a ferramenta de simulação por modelagem matemática. A empresa Queiroz Galvão – exploração e produção, é uma das grandes investidoras em tecnologia de ponta e utiliza da tecnologia da simulação 3D para estudar e avaliar o desempenho de um reservatório ao longo do tempo sob os mais variados cenários e situações.

Através da simulação 3D é possível obter dados de geologia, geofísica, propriedades de rocha e fluido, localização dos poços, métodos de elevação e condições de operação das instalações de produção. Com mais informações detalhadas, é possível que haja uma produção melhor monitorada. Com tudo, a Queiroz Galvão se mantém atualizada sobre as novas tecnologias de exploração e busca novidades como uso da sísmica (4D) para mostrar melhor o caminho e exploração do chamado ouro negro.



Deixe uma resposta