Estados Unidos querem impedir venda da Citgo à Rosneft

A estatal Petróleos de Venezuela (PDVSA) ofereceu à empresa russa Rosneft quase metade das ações da Citgo Petroleum, como forma de garantir o pagamento do emprestimo de US$ 1,5 bilhão obtido com os russo em 2016. Quem não gostou nem um pouco da noítica foi o governo americano de Donald Trump, que está pronto para impedir a transação.

Os norte-americanos estão preocupados com a possibilidade da Rússia obter controle da Citgo, que representa quase 5% da capacidade de refino do petróleo americano. A situação está tão séria que alguns dos congressitas dos Estados Unidos solicitaram que Trump use uma lei de segurança nacional para travar o acordo.

Os principais ativos da Citgo são refinarias que ficam, duas delas na costa do Golfo do México, no Texas e na Louisiana, e outra nos arredores de Chicago (Illinois), território americano e que tem capacidade  para processar 750 mil barris de petróleo por dia. Além dessas refinarias, a empresa conta ainda com 48 terminais de armazenamento, do Texas ao Maine, e mais nove linhas de oleodutos.

Visto que são um dos maiores produtores de petróleo e gás do mundo, os russos tem usando sua força nos mercados globais de energia como uma forma de manter uma política externa. Como o presidente da Rússia apoia Nicolas Maduro, presidente da Venezuela, o país tem realizado empréstimos aos latinos , o que fortalece o governo de Maduro, do qual os EUA é contra.



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *