Estudo prevê destaque energético para África

O site da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês) divulgou esta semana, um estudo aprofundado sobre a sobre a perspectiva energética da África no ano de 2019. O Africa Energy Outlook 2019 constatou que atuais planos e investimentos nos países africanos não são suficientes para atender às necessidades de energia da população jovem e em rápido crescimento, no entanto, isso pode mudar caso o continente evolua com novas políticas.

Espera-se que o número de habitantes nas cidades da África aumente expressivamente nos próximos anos. Portanto, as mudanças previstas podem ser negativas, mas por um outro lado, benéficas, visto que poderão impulsionar o crescimento econômico do continente, o desenvolvimento de infraestrutura e, por sua vez, a demanda de energia, que deverá aumentar 60%, para cerca de 1.320 milhões de toneladas de petróleo equivalente em 2040, com base nas políticas e planos atuais.

O estudo deixa claro que isso só irá ocorrer se políticas corretas forem seguidas e destaca a riqueza dos recursos naturais e os avanços tecnológicos do continente. Caso eles sejam aproveitados, a África poderá até 2040 atender às demandas de energia de uma economia quatro vezes maior que a atual, com apenas 50% a mais de energia.

Além disso, se enfatizarem fortemente as tecnologias de energia limpa, a energia solar fotovoltaica poderá se tornar a maior fonte de eletricidade da região em termos de capacidade instalada até 2040. O continente também possui grandes reservas de minerais, como cobalto e platina, necessárias nas indústrias de energia limpa que crescem rapidamente.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta