Gás natural: governo busca adiar aumento de 39%

No começo deste mês, a Petrobras anunciou aumento de 39% no preço de venda do gás natural para as distribuidoras, a começar a partir do primeiro dia de maio. Bolsonaro criticou a medida e, então, o governo tem se reunido em busca de solução para o aumento. Dessas reuniões, participam o Ministério de Minas e Energia (MME), a Petrobras, transportadoras e distribuidoras de gás.

Vale ressaltar que o anúncio do aumento foi feito por Roberto Castello Branco, agora ex-presidente da petroleira. Quem preside a empresa atualmente é Joaquim Silva e Luna.

A Petrobras havia justificado o aumento como resultado do vínculo do preço à cotação do petróleo e à taxa de câmbio. A desvalorização do real também entra na conta. Ademais, vale ressaltar que o gás natural é primordialmente destinado à indústria, geração de energia elétrica e veículos movidos a gás. O consumo pelas residências corresponde a apenas 2% do uso.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta