IEA: Covid-19 acentua a urgência de soluções sustentáveis

Segundo um relatório divulgado pelo IEA (Agência Internacional de Energia), sobre o progresso da energia no mundo, apesar do progresso acelerado na última década, o mundo não conseguirá garantir o acesso universal a energia acessível, confiável, sustentável e moderna até 2030, a menos que os esforços sejam ampliados de forma significativa.

De acordo com o documento, que estabelece uma série de metas globais, antes do início do surto de coronavírus, foi visualizado um progresso com um forte consumo de energia renovável para geração de eletricidade e melhorias na eficiência energética. No entanto, com a crise do Covid-19 e outros elementos importantes fora dos trilhos, a situação desandou.

“A pandemia de Covid-19 destacou as profundas desigualdades em todo o mundo em termos de acesso à energia moderna, acessível e sustentável. A eletricidade tem sido uma base vital da resposta à emergência de saúde pública em muitos países – mas centenas de milhões de pessoas em todo o mundo ainda não têm acesso básico a ela, sendo a maioria na África Subsaariana”, disse Fatih Birol, diretor da Agência Internacional de Energia.

O número de pessoas sem acesso à eletricidade caiu de 1,2 bilhão em 2010 para 789 milhões em 2018, porém, sob políticas que estavam em vigor ou planejadas antes do início da crise da covid-19, estima-se que 620 milhões de pessoas ainda não teriam acesso em 2030. A maior parte, ou 85%, deles na África Subsaariana. 

Outro fator é a necessidade de uma aceleração das energias renováveis ​​em todos os setores. Após um forte progresso na eficiência energética global entre 2015 e 2016, o ritmo diminuiu. A taxa de melhoria precisa acelerar drasticamente, de 1,7% em 2017 para pelo menos 3% nos próximos anos.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta