Macaé: princesinha do petróleo prevê retomada neste ano

A cidade de Macaé, localizada no Norte Fluminense do estado do Rio de Janeiro, já foi a maior potência do petróleo brasileiro. De um município cuja principal fonte de renda advinha da pesca, com o crescimento da insdústria offshore, a cidade foi se desenvolvendo e atraindo cada vez mais empresas e trabalhadores em busca de ofertas vastas.

No entanto, a crise econômica junto a redução do preço do barril de petróleo fez com que a “princesinha do ouro negro” perdesse seu posto. Isso porque, após os escândalos de corrupção envolvendo a Petrobras, bem como o corte no repasse de royalties, a cidade começou a se degradar. Enquanto grandes empresas do ramo de energia demitiam, a indústria, comércio e todas as formas econômicas da  cidade foram perdendo forças.

Porém, o ano de 2017 começou diferente para o município que vem retomando aos poucos o ritmo de crescimento. Apenas nos dois primeiros meses deste ano, Macaé recebeu mais de R$ 71 milhões em royalties. Em comparação ao primeiro bimestre de 2016, a cidade recebeu R$ 22 milhões a mais neste ano.

Esse montante significa um crescimento de 31% em relação ao ano passado, além disso representa uma grande expectativa para que Macaé retome seu crescimento impulsionado pelo petróleo e seu título de capital nacional do “ouro negro”.

Para mais detalhes sobre o mundo offshore continue interagindo com o Panorama, pois os últimos meses foram suficientes para demonstrar que o portal é a ferramenta ideal para os que precisam e buscam informações e notícias de qualidade sobre petróleo, gás e offshore. Lembre-se: Seu negócio passa por aqui. Confira: www.panoramaoffshore.com.br   www.facebook.com/panoramaoffshore

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta