MS perde R$ 270 milhões em ICMS de gás natural

O Mato Grosso do Sul perdeu cerca de R$ 270 milhões em arrecadação de ICMS com gás natural por conta da instabilidade no bombeamento e a queda de preços. Na última segunda-feira (2), o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) afirmou em uma coletiva que o déficit ainda pode chegar a R$ 300 milhões até o final do ano.

No passado, o arrecadamento já chegou na R$ 140 milhões em um único mês. Contudo, em algumas ocasiões deste ano, os lucros não passaram dos R$ 80 milhões. “Vamos ter um resultado final parecido com o de 2018 por ter de conviver com a insegurança do bombeamento. Um mês bombeia, outro não, além da incerteza por conta dessa instabilidade política na Bolívia”, afirmou Azambuja.

A crise do gás começou no Mato Grosso do Sul no ano de 2015, quando o consumo do produto forçou quedas na importação. Logo em meados de 2016, a situação se agravou quando a Petrobras decidiu expandir a produção do gás natural brasileiro retirado do pré-sal, e com isso, reduziu a importação boliviana. Contudo, o estado só ficava com o ICMS do produto que passava pela fronteira com a Bolívia. Uma das soluções foi a compra direta do gás boliviano pelo Estado – embora a medida tenha se atrasado por conta dos conflitos na Bolívia.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta