Interferência americana

Após quase quatro semanas de alta nos preços do barril do petróleo, o “ouro negro” sofreu uma nova queda essa semana. O declínio se deu por conta na queda das bolsas americanas alinhado ao aumento da produção de óleo nos Estados Unidos. Para deixar a situação ainda mais crítica, os EUA afirmaram que aumentaram a meta de exploração do produto. Este ano o total deve ficar em 10,59 milhões de barris, enquanto que para 2019 o volume deve ficar em 11,18 milhões. Mais uma vez os Estados Unidos são “uma grande pedra no sapato” da Opep.



Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *