Pandemia faz demanda global por gás ter forte queda

A pandemia do novo coronavírus, aliada a um inverno de temperaturas medianas no Hemisfério Norte, fez com que a demanda mundial por gás natural esteja no caminho para sofrer a maior queda anual já registrada. A informação é da Agência Internacional de Energia (IEA, na sigla em inglês), por meio de um levantamento sobre o setor divulgado nesta quarta-feira (10).

Importantes mercados de gás viram os preços caírem por conta da crise e da menor produção industrial, que acabaram pressionando a demanda. Por sua vez, essa demanda global por gás deve recuar em 4% – 150 bilhões de metros cúbicos (bmc), para 3.850 bmc neste ano. Especialistas afirmam que essa queda será cerca de duas vezes maior que a crise financeira de 2008.

No mais, até o fim do ano, grandes mercados da Europa, América do Norte e Ásia devem ter as maiores reduções de demanda, respondendo por 75% da queda total. De acordo com o relatório, a expectativa é que o gás natural liquefeito (GNL) continue sendo o principal fator de crescimento do comércio global de gás no futuro. Contudo, o setor de GNL corre riscos de prolongado excesso de oferta à medida que exportação for maior que a elevação da demanda.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta