Para Petrobras, taxa extra na gasolina seria arriscado

Em uma teleconferência com jornalistas na última sexta-feira (17), o presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, afirmou que a estatal está tomando medidas para preservar sua liquidez diante da crise, e segundo executivos, a imposição de um imposto de importação sobre a gasolina poderia gerar problemas técnicos para a produção de outros derivados de petróleo, como o GLP (gás de cozinha).

Para Castello Branco, uma redução maior da demanda por gasolina, que poderia ocorrer com eventual oferta de incentivos ao setor de etanol, que também viu uma retração na demanda, geraria risco de desabastecimento de derivados de petróleo.

Na quinta-feira (16), o presidente da União da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), Evandro Gussi, disse que o setor pedia um aumento na Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) da gasolina, além de redução do PIS/Cofins para o etanol.

“O Brasil é um país que tem deficiências de infraestrutura, e nós não estamos seguros como estamos agora de que poderíamos abastecer o mercado com mais essa redução de demanda forçada por lobistas…”, respondeu Castello Branco.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

2 comentários em “Para Petrobras, taxa extra na gasolina seria arriscado

Deixe uma resposta