Petróleo se mantém em alta apesar do aumento nos estoques dos EUA

A cotação do petróleo mantinha ganhos nesta quarta-feira, mesmo após dados mostrarem que os estoques de petróleo dos EUA tiveram aumento inesperado na semana passada.

Contratos futuros de petróleo bruto WTI, negociados em Nova York, tinham ganhos de US$ 0,43, ou cerca de 0,7%, e eram negociados a US$ 66,00 o barril por volta das 11h35. Os preços estavam em torno de US$ 66,03 antes da divulgação dos dados dos estoques.

A Administração de Informação de Energia afirmou em seu relatório semanal que os estoques de petróleo bruto tiveram aumento de 3,3 milhões de barris na semana que se encerrou em 6 de abril.

Isso se compara às expectativas dos analistas de que os estoques de petróleo bruto tivessem redução em torno de 0,6 milhão de barris, ao passo que o Instituto Americano de Petróleo informou na terça-feira um aumento de 1,8 milhão de barris no abastecimento.

O estoque em Cushing, Oklahoma, o principal ponto de entrega para o petróleo bruto da Nymex, teve aumento de 1,1 milhão de barris na última semana, informou a EIA.

O total dos estoques de petróleo bruto nos EUA ficou em 428,6 milhões de barris na semana passada, o que a EIA considera estar na metade inferior da faixa média para esta altura do ano.

A produção norte-americana de petróleo, conduzida pela extração de shale oil, chegou à máxima histórica de 10,52 milhões de barris por dia na semana passada, ficando acima dos níveis de produção da Arábia Saudita, principal exportador do mundo, e aproximando-se dos níveis da Rússia, maior produtor de petróleo do mundo.

Analistas e investidores alertaram recentemente que produtores de shale oil nos EUA poderiam afetar os esforços da Opep para reduzir o excesso de oferta.

O relatório mostrou que os estoques de gasolina tiveram aumento de 0,5 milhão de barris, o que se compara a expectativas de uma redução de 1,4 milhão de barris. No caso de estoques de destilados, incluindo diesel, a EIA relatou uma redução de 1,0 milhão de barris.

Além disso, o petróleo Brent, referência para preços do petróleo fora dos EUA, avançava US$ 0,43, ou cerca de 0,6%, para US$ 71,48 o barril.

A cotação Brent saltou ao maior nível desde o final de 2014 no início da sessão, impulsionada pela possibilidade de um ataque militar norte-americano na Síria.

Embora a Síria não seja por si só um produtor significativo de petróleo, o Oriente Médio em geral é o mais importante exportador de petróleo do mundo e tensões na região tendem a deixar os mercados de petróleo apreensivos.

Há também preocupações de que os Estados Unidos possam impor novamente sanções contra o Irã, um importante produtor de petróleo do Oriente Médio. Fonte: Money Times

Acompanhe tudo o que acontece no mercado de petróleo e gás através da Panorama Offshore e obtenha informações e notícias de qualidade sobre petróleo, gás, energias, pré-sal, biocombustíveis, combustíveis, gasolina, Petrobras e offshore. Lembre-se: Seu negócio passa por aqui. Confira: www.panoramaoffshore.com.br www.facebook.com/panoramaoffshor

 

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta