Setor de gás deve sofrer grande impacto no 2º tri

Distribuidoras de gás do país preveem um impacto profundo da crise causada pela pandemia de covid-19 no mercado no segundo trimestre. Segundo dados preliminares da Abegas, uma queda de 35% a 40% deve ocorrer no consumo de gás para as indústrias e uma retração de cerca de 60% para o setor comercial nos meses de abril e maio, em relação ao mesmo período em 2019.

O mercado de gás natural veicular (GNV) também está experimentando um recuo da ordem de 40%, na mesma comparação, em linha com a redução das vendas dos combustíveis líquidos.

Na última quarta-feira (20), o Ministro de Minas e Energia (MME), Bento Albuquerque, afirmou que está trabalhando com lideranças do Congresso Nacional para que o projeto da Lei do Gás possa ser aprovada ainda no primeiro semestre deste ano na Câmara e no Senado. Hoje (21), em entrevista para o site Valor Econômico, o presidente da Shell Brasil, André Araujo, também falou sobre a lei. Segundo ele, o Brasil tem condições de atrair muitos investimentos no setor de gás. 

“A aprovação do novo mercado de gás é imperativa, é aquela que traz o norte para o setor. Seguramente há vários outros aspectos que precisam ser definidos, particularmente a questão do transporte do gás, de entrada e saída, tem vários pontos que precisam ser endereçados, mas a aprovação da lei do novo mercado de gás vai trazer seguramente esse cenário positivo”, disse. 

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta