Setor de petróleo deve gerar 500 mil vagas de emprego

A elevação do preço do barril do petróleo e as recentes rodadas de licitação da ANP estão dando novo gás e oxigenando o mercado offshore nacional. Esse “boom” no setor pode movimentar o mercado de trabalho no Brasil, sobretudo no Rio de Janeiro, com possibilidade de ofertar cerca de 500 mil novas vagas de emprego até 2020. A informação é do secretário-executivo de exploração e produção do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis (IBP), Antônio Guimarães.

Em curto e médio prazos, diversas áreas devem ter oportunidades em aberto, entre elas limpeza, finanças, marketing, além de inúmeras outras. As contratações e a oferta não devem surgir imediatamente, mas de acordo com o andamento dos processos de exploração e produção de petróleo. Os últimos leilões foram os geradores da desestagnação industrial do setor e as próximas rodadas de licitação de 2018 darão o alavanque essencial para a melhora da movimentação do mercado.

Os recrutadores da área de óleo e gás já estão se movimentando. Contudo, para ter mais chances de obter uma vaga na área, especialistas sugerem conhecimento técnico no setor offshore, bem como gestão eficiente e fluência em inglês. Quer saber mais sobre o mundo do petróleo, gás, energias, pré-sal, combustíveis, gasolina, Petrobras e offshore? Continue acompanhando a Panorama Offshore. Lembre-se: Seu negócio passa por aqui. Confira: www.panoramaoffshore.com.br e  www.facebook.com/panoramaoffshore



4 comentários em “Setor de petróleo deve gerar 500 mil vagas de emprego

  • 16 de novembro de 2017 em 17:24
    Permalink

    Ótimas oportunidades para quem tem conhecimentos técnicos ao qual não solicitavam tantos cursos para a área ao qual o profissional se qualificou, agora os empresários aproveitando que a demanda de desempregados está muito Grande vamos exigir , mais cursos técnicos, superiores, faculdades, Magistrados, , pois se não tiverem ou quiserem tem vários ai desempregados , advogados, engenheiros, estão pedindo até ensino médio para o cara varrer rua. este é o brasil com b minúsculo, se aproveitam sempre do trabalhador , no dinheiro e na mão de Obra. Gostaria de uma explicação , como que o cara que esta desempregado vai custear estes diversos cursos acrescentados a sua função que estão solicitando, ai jogam para cima da Petrobras que é exigência , antes pegavam o trabalhador no laço o trabalhador devido a necessidade.

  • 16 de novembro de 2017 em 21:44
    Permalink

    Concordo com o Marcos. É só exigência atrás de exigência. Como que um desempregado vai ter dinheiro pra pagar tudo isso aí!? Pior pra quem tem curso mas não tem experiência, como eu, oportunidade zero. Sou formado em Eletrotécnica, tenho uma noção boa de inglês, onde posso me virar a aprimorar o idioma sozinho, mas não tenho oportunidade nenhuma porque não tenho experiência de embarque. Peço a Deus que em 2018 isso mude.

  • 17 de novembro de 2017 em 12:09
    Permalink

    Bom dia!
    Tem o email ou site das empresas que estão contratando na área administrativa no âmbito offshore. Tenho experiência profissional em empresas multinacionais.

Deixe uma resposta