Tecnologia brasileira produz etanol da casca de coco

Alunos da UFES (Universidade Federal do Espírito Santo) realizam estudos sobre tecnologia que proporciona produção de biocombustíveis a base da casca de coco. O material que seria jogado fora é reaproveitado e transformado em etanol. A previsão, é de que a produção chegue a nível industrial e seja automatizada nos próximos cinco anos.

Segundo o Censo Agropecuário 2017 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), a colheita anual de coco do Espírito Santo ultrapassa os 13 milhões e o número de produtores é mais de 2,8 mil. Professores da Universidade Federal do Espírito Santo, acreditam que a produção de biocombustível através da casca de coco é um bom caminho, já que se for descartada contamina o solo.

De acordo com informações, o ideal é que dentro de cinco anos a produção deixe de ser manual e passe a se tornar automatizada para que a tecnologia seja utilizada pelo produtor rural. Outros materiais orgânicos como a palha de café também podem ser fontes de produção do etanol, porém a fabricação de biocombustível feita a partir da casca de coco e da palha é mais demorada, pois ainda é feita manualmente e o material ainda precisa de pré-tratamento para quebrar a celulose e produzir o etanol.

Os estudos devem continuar a fim de que sejam desenvolvidas novas formas de facilitar e ampliar cada vez mais a produção do biocombustível sustentável. Fique por dentro de tudo que envolve o mercado de petróleo, gás,energia, biocombustíveis, onshore e offshore. Lembre-se: seu negócio passa por aqui! Acesse: www.panoramaoffshore.com.br ou www.facebook.com.br/panoramaoffshore



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *