Aneel: PF investiga recebimento de propina

Na manhã da última sexta-feira (22), a Polícia Federal (PF) cumpriu dois mandados de busca e apreensão relativos à Operação Elétron em Brasília. Eles apuraram um suposto recebimento de propina entre os anos de 2010 e 2013 por um ex-diretor da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), cujo nome não foi divulgado.

A Operação Elétron conta com apoio da Controladoria-Geral da União (CGU) e começou em 2016. Além dos relatórios duvidosos, a investigação apontou que após deixar a Aneel, o ex-diretor foi nomeado diretor de treze empresas de energia e abriu um estabelecimento de consultoria na área.

A partir desse momento, ele e sua nova firma passaram a receber em suas contas bancárias diversas transferências e depósitos de empresas do setor elétrico, que teriam sido beneficiadas por decisões da Aneel. Entre 2014 e 2015, houve um aumento de aproximadamente 300% em relação aos anos de 2011 a 2013, nos valores das contas vinculadas ao ex-diretor e sua empresa e parte dos depósitos também não constam na declaração de imposto de renda dos dois anos.

A Aneel alegou, em comunicado oficial, que “procura sempre robustecer seus mecanismos de controle e tem um processo decisório transparente e alinhado com as melhores práticas mundiais de regulação” e que está à disposição para colaborar e prestar todos os esclarecimentos necessários às investigações.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta