Energia eólica poderá ter royalties de 10%

O Congresso Nacional tem avançado nas discussões sobre a proposta que estabelece royalties de 10% sobre a produção de energia gerada pelo vento, a famosa eólica. A demanda surgiu de um apelo da bancada do Nordeste que justifica que as usinas eólicas já representam mais de 50% de toda a eletricidade.

A emenda constitucional de autoria do deputado Heráclito Fortes (PSB-PI), tornará os ventos como bem público da União, ou seja, passíveis de cobrança. O texto prevê uma alíquota de 10%, que serão destinados primordialmente aos Estados e aos municípios com usinas. A PEC está para ser votada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ).

Investidores do setor de petróleo, gás e energias estão se opondo a proposta. Segundo eles, os ventos são recursos infinitos e sem impactos socioambientais, o que limitaria a concorrência com outras fontes energéticas como o petróleo. As instalações das torres de turbinas, que gerariam energia por todo o Nordeste, também estão sendo artifícios usados contra o projeto, visto que as fazendas eólicas ocupariam vastas áreas com os equipamentos e o turismo poderia sofrer danos irreparáveis.

Continue acompanhando a Panorama Offshore e saiba tudo o que acontece no mercado de petróleo, gás, energias, gasolina, combustíveis, Petrobras, onshore e offshore acompanhando a Panorama Offshore. Lembre-se: seu negócio passa por aqui! Confira: www.panoramaoffshore.com.br e www.facebook.com/panoramaoffshore.



Deixe uma resposta