Foi dada a largada na produção do campo de Libra

A esperada produção do bloco de Libra, no pré-sal da Bacia de Santos teve início no dia 26 de novembro. A produção começou com os Testes de Longa Duração (TLD) por meio do navio-plataforma (FPSO) Pioneiro de Libra, que produzirá, armazenará e transferirá o petróleo e gás natural.

Operado pelo consórcio liderado pela Petrobras, Libra faz parte do regime de partilha, o que significa que uma parcela do óleo que for produzido ficará com a União. A Petrobras informou que já foram perfurados 12 poços e que o bloco de libra tem capacidade para processar diariamente até 50 mil barris de petróleo e 4 milhões de metros cúbicos de gás associado. A expectativa dos técnicos é que a produção de Libra na fase de testes chegue a cerca de 30 mil barris por dia até o início de 2018.

Contudo, o primeiro embarque de petróleo produzido na área está previsto para ocorrer no primeiro trimestre de 2020. Segundo informações do setor, iniciada a produção de petróleo em Libra, o governo agora deve tentar acelerar a possibilidade de editar uma medida provisória para que a estatal Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA) possa vender óleo da área de Libra e de outras regiões do pré-sal, sob regime de partilha.

O consórcio de Libra é operado pela Petrobras com 40% de participação, em sociedade com a Shell como parceira com 20% de participação; a Total com 20%; as chinesas CNPC com 10% e CNOOC 10%. O consórcio ainda conta com a participação da companhia estatal Pré-Sal Petróleo S.A (PPSA), que é a gestora do contrato.



Deixe uma resposta