Google resolve processo alegando que o modo ‘anônimo’ do Chrome rastreia usuários

O Google resolveu na quinta-feira uma ação coletiva movida por usuários que acusaram o gigante das buscas de capturar e rastrear seus dados no modo “anônimo”, uma configuração do navegador Chrome que supostamente protege a privacidade dos usuários.

Anteriormente, um juiz federal da Califórnia havia agendado a data do julgamento do caso para 2024, que foi suspenso enquanto os detalhes do acordo são finalizados, de acordo com um documento judicial na quinta-feira.

Os termos do acordo não foram divulgados, mas a reclamação original incluía reivindicações de US$ 100 a US$ 1.000 por demandante, potencialmente na casa dos milhões, disse o processo. Se o Google tivesse perdido o caso, o custo total teria sido de bilhões. Um porta-voz da empresa não quis comentar.

Os usuários do Google que optam por usar o navegador Chrome no modo “anônimo” geralmente esperam não conseguir encontrar o que procuram e procuram. Mas em um processo de 2020 citando e-mails internos entre executivos do Google, os promotores alegaram que o Google monitorava o uso do navegador dos clientes em modo “furtivo” para medir o tráfego da web e vender anúncios.

O Google anunciou recentemente novas medidas de segurança para dados de localização do usuário. Gigantes da tecnologia, incluindo Amazon, Meta e Alphabet, proprietária do Google, enfrentaram recentemente processos judiciais de reguladores federais por violarem várias leis de privacidade.

Os advogados dos demandantes não responderam imediatamente a um pedido de comentários.

READ  Trump atacou DeSantis em Iowa por causa do etanol

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *