Petrobras paga US$ 2,95 bi pelo fim de ação coletiva estrangeira

A estatal brasileira realizou um acordo que propõe pagar US$ 2,95 bilhões para investidores estrangeiros que compraram ações da empresa no mercado imobiliário americano. A intenção da Petrobras é dar fim a uma ação coletiva contra a petrolífera, que corre em Nova York, Estados Unidos, e acusa a empresa de lesar investidores a comprar mais títulos enquanto ocorria um esquema de corrupção que, em seguida, desvalorizou a companhia.

A ação foi protocolada em 2014, após as revelações da Operação Lava Jato e a decisão por um acordo se deu a partir do fato que, para a Petrobras, um julgamento poderia acarretar risco ainda maior para a imagem da empresa e poderia elevar o pagamento a ser realizado pela estatal após a disputa jurídica.

Em nota, a empresa disse que “o acordo, que ainda será submetido à apreciação do juízo norte-americano, objetiva encerrar todas as demandas atualmente em curso e que poderiam vir a ser propostas por investidores em ações e bônus da Petrobras adquiridos nos Estados Unidos”. O texto diz ainda que “acordo não constitui reconhecimento de culpa ou de prática de atos irregulares pela Petrobras”.

Por meio do acordo, a empresa brasileira irá pagar a indenização de US$ 2,95 bilhões em três parcelas:  duas no valor de US$ 983 milhões e uma de US$ 984 milhões. O valor total do acordo será provisionado no balanço do quarto trimestre de 2017. O pagamento é figurativamente reconhecimento de culpa da empresa, pois ao acordar não ir à justiça, a estatal acaba por dar tiro no próprio pé, quando se diz vítima da situação. Como pode a vítima ter culpa?

Continue acompanhando a Panorama Offshore e mantenha-se informado sobre tudo que acontece no mercado de petróleo, energias, gasolina, combustíveis, Petrobras, onshore e offshore. Seu negócio passa por aqui. Confira: www.panoramaoffshore.com.br e www.facebook.com/panoramaoffshore.

ACESSE AS REDES DA PANORAMA OFFSHORE:

Deixe uma resposta