A cigana Rose Blanchard foi libertada da prisão

A cigana Rose Blanchard está fora da prisão há vários anos. O Departamento de Correções do Missouri confirmou a liberação do Centro Correcional de Chillicothe na manhã de quinta-feira. Blanchard, agora com 32 anos, recebeu liberdade condicional depois de cumprir vários anos de prisão por seu papel na morte. Sua mãe, Claudine “Dee Dee” Blanchard, em 2015, em sua casa perto de Springfield. As autoridades disseram que Blanchard era prisioneira em sua própria casa há vários anos. Forçada a fingir que era deficiente, Blanchard passou por tratamentos médicos, exames e procedimentos com base na palavra fabricada de sua mãe, Dee Dee, que coletou simpatia e doações em nome de sua filha, que também havia se tornado mais jovem. Blanchard conhece Wisconsin. O homem Nicolas Godejan rapidamente iniciou um relacionamento com ele online em 2012. Após anos de conversas, Blanchard convenceu Godejohn a se mudar de Wisconsin para Springfield para assassinar sua mãe. Dee Dee Blanchard foi encontrada esfaqueada 17 vezes em sua cama em junho de 2015. Os vizinhos acreditavam que Gypsy Blanchard estava viva e bem, então as autoridades pediram a ajuda do público para encontrá-la. Retardado mental. Blanchard e Godejohn foram encontrados dias depois em Big Bend, Wisconsin, e extraditados para o Missouri para enfrentar acusações de homicídio e assalto à mão armada. Na primeira audiência de Blanchard em Wisconsin, o público ficou chocado ao ver Blanchard caminhar sob sua autoridade e falar em voz muito baixa com o juiz. A partir daí, a história que Dee Dee Blanchard teceu começou a se desvendar. Blanchard acabou se declarando culpada de assassinato em segundo grau pela morte de sua mãe e foi condenada a 10 anos de prisão. Godejan foi posteriormente condenado e sentenciado no caso de homicídio de primeiro grau. A história de Blanchard foi apresentada no documentário da HBO “Mommy Dead and Dearest”, “Dr. Phil” e nas séries Lifetime e Hulu.

READ  Tiroteio em jogo de futebol americano em escola secundária de Oklahoma: 1 adolescente morto e 4 feridos, dizem as autoridades

A cigana Rose Blanchard foi libertada da prisão após anos de prisão.

O Departamento de Correções do Missouri confirmou sua libertação da prisão do Centro Correcional de Chillicothe na manhã de quinta-feira.

Blanchard, agora com 32 anos, recebeu liberdade condicional depois de cumprir anos de prisão por seu papel na morte de sua mãe, Claudine “Dee Dee” Blanchard, em 2015, em sua casa perto de Springfield.

As autoridades disseram que Blanchard era prisioneira em sua própria casa há vários anos. Forçada a fingir que era deficiente, Blanchard passou por cuidados médicos, exames e procedimentos baseados nas palavras fabricadas de sua mãe, Dee Dee, que coletou solidariedade e doações em nome de sua filha, que por acaso também era a mais nova.

Blanchard conheceu Nicholas Godejan, um homem de Wisconsin, online em 2012 e rapidamente iniciou um relacionamento com ele. Após anos de conversas, Blanchard convenceu Godejan a se mudar de Wisconsin para Springfield para matar sua mãe.

Em junho de 2015, Dee Dee Blanchard foi encontrada esfaqueada 17 vezes em sua cama. Os vizinhos acreditavam que Gypsy Blanchard era deficiente física e mental, então as autoridades buscaram a ajuda do público para localizá-la.

Blanchard e Godejohn foram encontrados dias depois em Big Bend, Wisconsin, e extraditados para o Missouri para enfrentar acusações de homicídio e assalto à mão armada.

Na primeira audiência de Blanchard em Wisconsin, o público ficou chocado ao ver Blanchard caminhar sob sua autoridade e falar em voz muito baixa com o juiz. A partir daí, a história contada por Dee Dee Blanchard começou a se desvendar.

READ  Pelo menos 19 pessoas morreram em incêndios florestais na densamente povoada região central do Chile

Blanchard acabou se declarando culpada de assassinato em segundo grau pela morte de sua mãe e foi condenada a 10 anos de prisão.

Codejon foi posteriormente condenado por assassinato em primeiro grau no caso e sentenciado à prisão perpétua.

A história de Blanchard foi apresentada no documentário da HBO “Mommy Dead and Dearest”, “Dr. Phil” e nas séries Lifetime e Hulu.

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *